JESUS É BOM!!!

JESUS É BOM!!!
Família - Milagre de Deus

NA LUTA CONTRA O PECADO

NA LUTA CONTRA O PECADO
Por AMOR ao PECADOR ARREPENDIDO...

IBNV SOBRADINHO

IBNV SOBRADINHO
Nossa IGREJA...

NÃO SE ACANHE, COMENTE!!!

NÃO SE ACANHE, COMENTE!!!
Respondo em BREVE...

Poeira

Eu quero ser alguém que sempre faz a coisa certa. Não só nas grandes coisas em que o certo e o errado são óbvios e claros, mas nas pequenas coisas, nas coisas sutis e que passam despercebidas.
Como ajudar minha vizinha a limpar a calçada... sabe... aquilo que faço quando ninguém está olhando.
É fácil deixar estas pequenas coisas de lado. E são essas escolhas intermináveis que fazemos todos os dias que nos moldam no tipo de pessoas que somos.
Mas essa mudança foi recente para mim, pois comecei a acreditar em coisas diferentes sobre mim.
Um amigo meu me ajudou a entender com a história de Jesus e seus discípulos, que eu já conhecia, mas que assumiu um novo significado.
Os discípulos estão num barco no meio da noite tentando cruzar o lago, o vento está soprando e a água está agitada, e Jesus vem andando sobre as águas.
Eles pensam que Ele é um fantasma, e dizem: "Jesus, é você?" Ele diz que sim, e um deles, Pedro, sai do barco e começa a andar na água em direção a Jesus.
O que Pedro estava pensando? E por que ele acha que pode andar sobre a água?
Eu percebi que a história apenas faz sentido se você entender o pano de fundo.
Jesus é um rabino judeu, com discípulos judeus, vivendo no mundo judeu do primeiro século.
Jesus cresceu numa região chamada Galiléia, e os judeus da Galiléia acreditavam que Deus falara com Moisés, um dos seus grandes líderes históricos, e Lhe dera os primeiros cinco livros da Bíblia. Eles chamam estes livros de "Torá".
Torá significa ensino ou instruções ou simplesmente "o caminho". Então o Torá era o centro, a base de suas vidas, e era o enfoque do seu sistema educacional.
A maioria das crianças judias com cerca de seis anos entravam na escola para aprender o Torá. Eles se reuniam na sinagoga local e eram ensinados por um rabino, o professor local do Torá.
Esse primeiro nível de ensino era chamado de "beit Sefer" e durava até a criança completar dez anos. No "beit Sefer", as crianças memorizavam o Torá, e aos dez anos cada palavra do Torá estava gravada em seus corações.
Gênesis, Êxodo, Levítico, Números e Deuteronômio, decorados.
Ao término do "beit Sefer", por volta dos dez anos de idade, a maioria das crianças já saíra da escola. Eles estavam aprendendo, eram aprendizes, aprendendo o ofício da família, o negócio da família, a cuidar da casa.
Mas os melhores dos melhores continuavam estudando. A educação deles prosseguia ao próximo nível, que era chamada de "beit Talmud". No "beit Talmud", os melhores que continuavam, os melhores dos melhores, os que demonstravam uma aptidão natural, decoravam o restante das escrituras hebraicas.
Do Gênesis a Malaquias, decorado.
Ao fim do "beit Talmud", aos 14 ou 15 anos, a maioria dos jovens estava aprendendo o ofício da família, o negócio familiar, como aprendizes de seus pais. Mas os melhores dos melhores dos melhores prosseguiam ao próximo nível de educação, chamado de "beit Midrash".
Eles iam até um rabino e pediam aquele rabino para se tornarem um dos seus discípulos.
Quando dizemos "discípulo" queremos dizer "estudante", mas geralmente significa alguém que conhece um amigo do rabino.
Mas o discípulo é algo além disso. Um discípulo não só quer saber o que o rabino sabe, mas quer ser como o rabino e quer aprender a fazer o que o rabino faz.
Mas os rabinos diferiam na interpretação do Torá. Um rabino diria sobre um verso ou comando: " Isso é o que significa seguir esse verso ou seguir esse comando de Deus." Mas outro rabino diria:" Não, eu acho que significa algo diferente." Então rabinos diferentes tinham visões e interpretações diferentes sobre como viver, entender e interpretar as Escrituras. Esse conjunto de Interpretações chamava-se a "gema" do rabino.
Então quando você pedia a um rabino para se tornar um de seus discípulos, o que você queria era assimilar a "gema" daquele rabino, para aprender o conhecimento à maneira daquele rabino para agir como o rabino e então ser como aquele rabino.
Você diria ao rabino: "Rabino, quero me tornar um de seus discípulos." O rabino então o testaria. Ele faria perguntas sobre o Torá, sobre os profetas, sobre as tradições orais, perguntas sobre muitas coisas, pois o rabino queria saber: "Este rapaz pode sentar-se á minha frente? Ele pode fazer o que eu faço? Será que pode divulgar a minha gema? Será que ele tem o que é preciso?”.
Então o rabino testaria o rapaz com perguntas, e se ele achasse que o jovem era bom, que amava a Deus e que amava o Torá, mas que o jovem não era o melhor dos melhores dos melhores, o rabino diria ao rapaz: "Vejo que ama a Deus e conhece o Torá, mas não tem as qualidades para ser meu discípulo." E o rabino diria algo assim:"Continue estudando o negócio da sua família. Continue a praticar o ofício da família."
Mas se o rabino pensasse: "Este rapaz tem as qualidades necessárias. Acho que este rapaz pode fazer o que eu faço." Então o rabino diria ao jovem: "Venha. Siga-me." Então este jovem de 14 ou 15 anos de idade deixaria a família, os amigos, a sinagoga, o vilarejo, e devotaria a sua vida inteira a ser como aquele rabino, aprendendo a agir como o rabino.
Isto é o que significa ser um discípulo.
Então, um rabino chega à cidade. Um rabino poderoso, com seu pequeno grupo de discípulos, e eles estão fazendo de tudo para acompanhá-lo, pois devotaram suas vidas a fazer como o rabino faz. Se você é um discípulo seguindo seu rabino, após viajar por estradas quentes, empoeiradas, sujas, a poeira onde o seu rabino pisou acaba grudada na frente da sua roupa.
Por isso surgiu esse ditado entre os homens sábios e instruídos, você diria a um discípulo: "Que você fique coberto pela poeira do seu rabino." Essa é uma cena que todos já tinham visto. Eles sabiam exatamente o significado de ser coberto pela poeira do rabino.
Para mim, tudo isso tem grandes implicações para Jesus, e para a nossa compreensão de Jesus, pois a maioria dos rabinos começava a ensinar aos 30 anos de idade. E na Bíblia, aos 30 anos Jesus estava caminhando ao longo do mar da Galiléia, quando encontrou Pedro e André, que eram pescadores. E Jesus disse a eles: "Venham. Sigam-me”.
Se eles são pescadores e Jesus os convida a se tornarem seus discípulos, então é porque eles não estão seguindo nenhum outro rabino, e se não estão seguindo outro rabino, é porque não são "os melhores dos melhores". Eles não tinham passado no teste.
E o texto continua, diz que eles imediatamente largaram suas redes e o seguiram. O que eu sempre achei meio estranho.
Esquisito, não é? Eles largaram tudo e foram. E esses filmes sobre cristãos não ajudam também. É como se Jesus chegasse à praia vestido em um roupão branco, com uma faixa de concurso de beleza azul clara atravessada, o cabelo está penteado, ele parece sueco, chama seus discípulos e eles reagem como robôs. Eles simplesmente concordam e o seguem.
Se você colocar isso no seu verdadeiro contexto original, tudo faz mais sentido. Os rabinos eram os mais honrados, respeitados e reverenciados de todos e em qualquer lugar. Apenas os "melhores dos melhores dos melhores" chegavam a ser rabinos.
E esse rabino chega na praia e diz para você: "Venha me seguir". O que ele quer dizer?
O que ele está dizendo é: "Você pode fazer o que eu faço". Ele está dizendo: " Você pode ser como eu". Claro que você largaria suas redes e o seguiria.
E o texto continua e diz que Ele encontra a Tiago e João que estavam pescando com seu pai, Zebedeu. Se eles pescavam com seu pai, o que eram? Eram aprendizes do ofício. E se Ele os quer como discípulos, é porque eles não eram discípulos de outro rabino. Ou seja, Tiago e João não eram bons o bastante. Também não tinham passado no teste. Não eram os melhores dos melhores...
E qual era a idade deles? 15, 16, talvez 20 anos? Eles eram homens jovens, e Jesus os escolheu porque seu movimento é para todos. É para ricos e pobres, homens e mulheres, educados e não-educados. Aliás, qual é uma das coisas que falam deles depois? Uma das coisas ditas sobre eles mais tarde é: "Esses homens eram pescadores sem educação".
Jesus veio para os camponeses, e para os estudiosos, é o movimento de qualquer um e Ele não os chama de segundos, de equipe B, ou diz a eles que não são bons o bastante. Ele os convida a serem discípulos e mudam o rumo da história da humanidade.
Voltando ao caminhar na água. Você tem um barco de "zés-ninguém", a água está agitada, o vento está soprando, eles estão apavorados pois ao verem Jesus caminhando na água, pensam que é um fantasma. Então Pedro diz: "Se é mesmo você, deixe-me ir até aí". Por que essa é a reação de Pedro? Por que ele diz: "Se for você, deixe-me chegar perto"?
Porque ele é um discípulo e orientou toda a sua vida, devotou cada momento a fazer o que o rabino faz. Aprendendo a ser como esse rabino.
Ele vê o seu rabino caminhar sobre a água, e o que ele pensa? "Quero caminhar na água também, quero ser como meu rabino". Então Pedro sai do barco e caminha sobre a água, mas ele começa a afundar e grita: "Jesus, salve-me"! O texto diz que Jesus imediatamente o pega e diz: "Homem de pouca fé, por que duvidaste”?
Eu sempre presumi que Pedro duvidara de Jesus, mas Jesus não está afundando! Então por que Pedro duvida? Ele duvida de si mesmo. Ele perde a fé em si mesmo, de que pode ser como o rabino.
Jesus não o teria chamado se não acreditasse nele. Jesus até recorda isso aos seus discípulos. Ele disse a eles: "Vocês não me escolheram, eu os escolhi". O rabino não o escolheria a não ser que pensasse que você pode fazer o que ele faz, que pode ser como ele é.
Toda a minha vida eu ouvi pessoas falando da crer em Deus. E Deus também crê em nós. Em você. Em mim. Afinal, a fé em Jesus é importante, mas e a fé de Jesus em nós? Ele tinha fé em nós, pois deixou tudo nas mãos destes discípulos.
Qual a última coisa que Jesus diz a eles? Ele diz: "Agora vão e façam mais discípulos". Ele deixa tudo nas mãos desses "zés-ninguém" e eles conseguem! E se nós pudéssemos ser os tipos de pessoa que Deus pretendia que fossemos? E se Ele acreditar mesmo nisso?
E se Ele acreditar que podemos ser o tipo de pessoa que vive como Jesus vivia? O tipo de pessoa que age, pois tem consciência das oportunidades infinitas ao nosso redor o tempo todo para o bem, a beleza, a verdade. Afinal, Jesus acredita que você pode segui-lo e pode ser como Ele. Ele acredita nisso.
Que você creia em Deus, mas que possa ver que Deus crê em você.
Que você tenha fé em Jesus, mas que você possa ver que Jesus tem fé que você pode ser como Ele.
Uma pessoa cheia de amor, compaixão e verdade.
Uma pessoa cheia de perdão, paz, graça, alegria e esperança.
E que você fique coberto pela poeira do seu rabino, JESUS CRISTO.
Texto traduzido do vídeo
"DUST"
Nooma - 08 - Rob Bell

Creative Commons License

1 comentários: